Resposta

 

Paciente jovem com história de lesão expansiva com vários anos de evolução. As dosagens sérica de cálcio, fósforo, fosfatase alcalina e paratormônio apresentavam-se normais. Qual é o provável diagnóstico?

 

X- Displasia Fibrosa
  - Fibroma Ossificante
  - Osteossarcoma
  - Osteodistrofia Renal

Comentário:

A displasia fibrosa é uma desordem óssea não neoplásica de desenvolvimento que pode afetar os ossos maxilares, acometendo comumente a maxila; apresentando imagens radiopacas ou hiperdensas, difusas e mal delimitadas. Já o fibroma ossificante é uma neoplasia que tende a afetar principalmente a mandíbula; exibindo limites  bem delimitados no exame de imagem.Esta distinção é importante em razão do comportamento biológico distinto das duas lesões. Enquanto na displasia fibrosa nota-se um comportamento autolimitante no fibroma ossificante há crescimento ilimitado. Observe, na lesão apresentada, que o processo patológico tenta recuperar, apesar do crescimento exagerado, a anatomia do osso, o que reforça ainda mais o diagnóstico de displasia fibrosa. Tanto o exame de imagem como a história clínica não condizem com o diagnóstico de osteossarcoma. Os exames laboratoriais apresentados colocam como improvável a hipótese de osteodistrofia renal.

 

Leitura Complementar:

1- Eversole R, Su L, ElMofty S. Bening fibro-osseous lesions of the craniofacial complex. A review. Head and Neck Pathol 2008; 2:177-202.


Prof. Ricardo Santiago Gomez
- Professor Titular da Disciplina de Patologia Bucal da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais.
- Coordenador do Laboratório de Patologia Molecular da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Orientador no Programa de Pós-Graduação em Medicina Molecular da UFMG

Orientador no  Programa de Pós-Graduação em Odontologia da UFMG

Link para o Currículo Lattes:

https://lattes.cnpq.br/5760422122697584

Trabalhos indexados no PUBMED