Pseudocisto Antral

Imagem radiográfica mostrando massa radiopaca em forma de cúpula na região do assoalho do seixo maxilar.

O pseudocisto antral é um espessamento da mucosa sinusal provocado pelo acúmulo de exsudato inflamatório, situado abaixo da mucosa, provocando a sua elevação. A lesão normalmente é assintomática e, portanto, é descoberta acidentalmente em exames radiográficos de rotina, nos quais nota-se imagem radiopaca em forma de cúpula no soalho do seio maxilar. Vários agentes etiológicos são propostos, entre eles a infecção odontogênica, a infecção da mucosa sinusal ou alergia. O diagnóstico diferencial inclui outras alterações patológicas do seio maxilar como: póplipo sinusal, cisto de retenção, mucocele sinusal, cisto ciliado pós-cirúrgico do seio maxilar e neoplasias. O acúmulo de exsudato no pseudocisto antral  acontece abaixo do periósteo; já no pólipo sinusal, o exsudato inflamatório acumula-se na lâmina própria, causando elevação irregular da mucosa. Diferente do formato em cúpula do pseudocisto na região do assoalho sinusal, o pólipo apresenta formato irregular, por vezes, pedunculado. O cisto de retenção do seio maxilar surge em virtude do bloqueio do ducto da glândula seromucosa e localiza-se próximo ao óstio ou no interior de pólipos. Esse cisto dificilmente provoca manifestações clínicas relevantes. A mucocele sinusal surge em razão do bloqueio do óstio sinonasal. Essa obstrução transforma o revestimento sinusal em revestimento cístico, o que ocasiona a expansão gradativa do seio maxilar e destruição óssea. Eventos traumáticos ou cirúrgicos no seio maxilar podem levar a ruptura do epitélio sinusal; e este pode formar uma nova cavidade cística, denominada cisto ciliado pós-Cirúrgico do seio maxilar. Com o tempo, esse cisto pode levar à perfuração e destruição das paredes do seio maxilar. Achados semelhantes podem ser encontrados nos casos de neoplasias dessa região. Diante disso, pode-se inferir que tanto a mucocele sinunasal, e o cisto ciliado pós-cirúrgico do seio maxilar, como as neoplasias, levam a destruição das paredes do seio maxilar e, devendo ser tratados cirurgicamente – no caso das neoplasias o tratamento dependerá do diagnóstico. Nenhum tratamento é indicado para o pseudocisto antral, tendo em vista que a lesão não representa necessariamente uma contraindicação para o levantamento da mucosa, a colocação de enxerto ósseo para implantes.

 

Leitura Complementar:

1- Celebe N, Gonon ZB, Kilic E, Etoz O, Alkan A. Maxillary sinus floor augmentation in patients with maxillary sinus pseudocyst: a case report. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 2011;112:e97-e102.

2- Gardner DG. Pseudocyst and retention cyst of the maxillary sinus. J Oral Surg 1984;58:561-7.

3- Neville BW, Damm DD, Allen CM, Bouquot JE. Oral and Maxiilofacial Pathology. 3 ed. Saunders: St Louis, 2009.