Mougeot FK, Saunders SE, Brennan MT, Lockhart PB. Associations between bacteremia from oral sources and distant-site infections: tooth brushing versus single tooth extraction. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol. 2015;119(4):430-5.

Mougeot e colaboradores investigaram o impacto da profilaxia com antibiótico na incidência de bacteremia causada por bactérias associadas com endocardite infecciosa e infecções de próteses articulares após extração dentária. As espécies de bactérias foram identificadas por cultura microbiana e sequenciamento de DNA em amostras de sangue. Três grupos de estudos foram formados: 96 pacientes submetidos a profilaxia com amoxilina antes da extração de um dente, 96 pacientes submetidos ao mesmo procedimento mas sem receber medicação (placebo) e um grupo de 98 indivíduos que realizaram apenas escovação dentária. Os resultados mostraram que das 98 bactérias identificadas no estudo, 32 estão associadas com endocardite infecciosa, enquanto 12 tem relação com infecções de próteses articulares. Os autores encontraram que a frequência dessas bactérias foi maior no grupo que não foi submetido a antibioticoterapia profilática. Entretanto, a frequência relativa dessas bactérias no grupo placebo (que não recebeu o antibiótico profilático) foi similar ao grupo submetido apenas à escovação dos dentes. Portanto, apesar da diminuição da incidência de bacteremia com o uso do antibiótico, a similaridade dos dados do grupo placebo com o grupo submetido apenas à escovação coloca em dúvida a real necessidade do uso de antibiótico profilático para extrações dentárias. Devemos lembrar que como a escovação dentária é um procedimento diário, os riscos relacionados a sua prática podem ser maiores do que uma extração dentária eventual. Embora ainda indicado pela Associação Americana de Cardiologia em situações específicas, o antibiótico profilático tem sido utilizado em procedimentos odontológicos que vão muito além dessas recomendações. O trabalho dos autores não esgota o tema, mas indica que devemos ser mais criteriosos no uso dessa medicação.


Prof. Ricardo Santiago Gomez
- Professor Titular da Disciplina de Patologia Bucal da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais.
- Coordenador do Laboratório de Patologia Molecular da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Orientador no Programa de Pós-Graduação em Medicina Molecular da UFMG

Orientador no  Programa de Pós-Graduação em Odontologia da UFMG

Link para o Currículo Lattes:

https://lattes.cnpq.br/5760422122697584

Trabalhos indexados no PUBMED